Compartilhar Inscreva-se

Importância e benefícios em adequar sua empresa às normas internacionais de contabilidade – IFRS

Importância e benefícios em adequar sua empresa às normas internacionais de contabilidade – IFRS

A normas internacionais denominadas IFRS (International Financial Reporting Standards) surgiram para padronizar a forma com que as empresas elaboram e registram os suas demonstrações financeiras.

A intenção é, principalmente, favorecer o entendimento de uma demonstração por pessoas no mundo inteiro. Quando o assunto começou a ser discutido uma série de dúvidas quanto a padronização desses documentos surgiu e, apesar de a maioria das empresas terem se adequado a essa novidade, muitas fizeram sem entender, de fato, a importância e as vantagens que essa medida poderia proporcionar.

Neste artigo, você entenderá o que são as demonstrações de acordo com as normas de contabilidade internacional e a importância dessa adequação. Acompanhe!

O que é IFRS?

Durante anos, o Brasil utilizou como base para as suas demonstrações financeiras o modelo americano, entretanto, a partir da instituição das Leis nos 11.638/2007 e 11.941/2009 essa estrutura foi alterada de forma significativa pelas IFRS, sigla para International Financial Reporting Standards, traduzindo para o português: Normas Internacionais de Relatórios Financeiros.

A adoção desse novo formato teve como propósito reduzir as diferenças práticas e os critérios de reconhecimento e mensuração de transações financeiras no Brasil. Antes disso, analisar as demonstrações contábeis de uma empresa era motivo de apreensão, isso porque os negócios brasileiros tinham muitas divergências em relação a outros países.

Era comum, por exemplo, uma empresa com a demonstração de resultados lucrativos, ao ser colocada em padrões internacionais, demonstrarem um resultado totalmente diferente, podendo, inclusive, gerar prejuízo contábil — algo que obrigava um investidor a readequar todo o cálculo para conseguir um resultado próximo do real.

Com essa mudança, as demonstrações praticadas no Brasil passaram a ter mais compatibilidade com outros países que adotaram as mesmas medidas, favorecendo o crescimento de investimentos estrangeiros no país.

Quais as principais mudanças sugeridas pelas IFRS?

Além das mudanças estruturais em algumas demonstrações, como o balanço patrimonial que, além das divisões entre ativo e passivo, também receberam as subdivisões “circulante e não circulante”, também existem alguns princípios fundamentais que muitas empresas ainda estão desenvolvendo:

  • novas demonstrações IFRS devem fornecer todas as informações, seus resultados e posições financeiras que sejam úteis para clientes, fornecedores, empregados e, principalmente, investidores;
  • obedecer a alguns princípios contábeis básicos e seus números devem ser confiáveis, claros e demonstrarem toda a sua relevância;
  • apresentar períodos anteriores para facilitar a análise e comparação.

Outros demonstrativos esquecidos por muitos empresários e que foram alinhados ao IFRS são:

  • a demonstração do fluxo de caixa – DFC, do resultado abrangente – DRA, e de mutações do Patrimônio Líquido – DMPL;
  • o Balanço e a Demonstração de resultado – DRE;
  • critérios de reconhecimento de receitas, despesas, ativos e passivos;
  • o princípio de avaliação das demonstrações financeiras, obrigando que elas tenham elementos, como custos correntes, custo histórico, valor realizável e valor presente.

Quais são os benefícios que essa adequação proporcionou?

Toda mudança tende a ser difícil para o empresário, entretanto, com o passar do tempo, tanto ele quanto os contadores perceberam que essas novidades proporcionam benefícios que jamais seriam imaginados.

O primeiro deles, sem dúvidas, é o aumento nas chances de encontrar investidores no mundo todo. Além disso, também devemos destacar a melhoria na qualidade da informação.

Com demonstrações mais sóbrias e a possibilidade de serem desdobradas em outras mais específicas fica mais fácil para o gestor controlar a qualidade desses dados e averiguar suas fontes em outros demonstrativos.

Além disso, para as empresas que buscam abrir o seu capital na CVM -Comissão de Valores Mobiliários, para negociar em bolsa, essa mudança facilita a integração do empreendimento com as exigências da instituição para que suas ações sejam comercializadas.

Analisando de uma forma mais abrangente, as demonstrações financeiras com base nas IFRS também possibilitaram o crescimento do país frente a mercados internacionais, graças a transparência e comparabilidade que esses documentos proporcionaram.

Em uma análise mais aprofundada, especialmente comparando as formas de elaboração das demonstrações, percebemos que muitas delas passaram a ser mais simples, principalmente, o Balanço Patrimonial.

O Ativo, por exemplo, é dividido em apenas dois grandes grupos:

  • o Circulante, que abrange as contas de maior liquidez como o Caixa, Bancos, Clientes e estoque;
  • o Não-Circulante, que registra as rubricas de menor liquidez como imobilizado, marcas e patentes.

Mesma classificação se aplica ao Passivo: circulante e não circulante. .

Isso tende a facilitar a análise dos gestores com base em suas próprias demonstrações contábeis e favorece a melhora na gestão desses documentos que são essenciais para a tomada de decisões gerenciais.

Como fazer essa adequação na sua empresa?

Por fim, uma dúvida muito comum que surge entre empresários de todos os ramos e que tem acesso a esse tipo de informação é: como implementar essas alterações dentro de uma empresa que já vinha adotando os velhos padrões de demonstrações financeiras?

Para fazer isso, você precisará contar com o apoio de um profissional de contabilidade que, efetivamente, entenda do assunto e possa fazer a adequação da forma correta. Assim, o contador e a equipe do escritório contratado, poderão instruir todos os gestores sobre como eles devem analisar as suas demonstrações a partir das mudanças.

Afinal, todo o formato de cálculo de indicadores contábeis e financeiros também são afetados com a mudança na estrutura desses demonstrativos e a sua empresa precisará passar por todo esse novo treinamento para se acostumar ao novo padrão internacional.

Fazendo isso, você alcançará a perfeita adequação das demonstrações financeiras IFRS em sua empresa, podendo obter todos os benefícios que mencionamos ao longo deste artigo, além de colocar seus demonstrativos de forma que investidores do mundo inteiro, possam interpretar e entender os dados apresentados com eficácia.

Gostou destas informações? Quer ficar por dentro de todas as novidades do nosso site? Então, assine nossa newsletter para não perder nenhum novo conteúdo.

Compartilhe
Dome Expertise Tributária

Dome Expertise Tributária